SOBRE A POTE EDITORA

Para falar da Pote, se faz necessário falar de um menino que adorava desenhar. O desenho era quase uma varinha mágica que fazia existir coisas que esse menino sonhava. Ao crescer esse menino vai descobrindo que há outras ferramentas – talvez não tão mágicas – para transformar a realidade. Desde o fim da adolescência inicia sua jornada pela Psicanálise, pelos grupos, pelas oficinas e faz disso sua profissão. Esses anos de estudo, trabalho e criação contribuíram para a lapidação de escuta e olhar atentos e sensíveis para aquilo que acontece entre dois, três ou mais.
Em um domingo de verão, tínhamos no freezer picolé e sorvete de massa em um pote. O Lucas se vira para mim e pergunta:
- “Que sorvete você quer: de palito ou de pote?
- Eu quero de pote. Aliás, eu sempre prefiro o de pote. Eu amo o de pote.”
Assim que eu o vejo sorrir e posso escutar a minha resposta, eu percebo que a alegria e o amor que eu sentia pelo “de pote” não se referia ao sorvete, mas sim ao meu pote, meu namorado. Minha mãe ri todas as vezes que nos escuta nos chamando de pote e a pergunta que eu mais ouço de todos é: “que pote? Pote de quê?”.
Um pote é um recipiente, um contêiner, um continente, que pode caber tanto quanto abarca sua profundidade, tamanho e largura, que armazena, que conserva, que transporta, que acomoda e que ao ser aberto pode desencadear uma série de emoções como surpresa, alegria, espanto e riso. Depois de cheio, para que possa caber mais coisas no pote, se faz necessária a partilha de seu conteúdo e é nesse movimento que a Pote editora nasce.
A Pote editora é o veículo que traz concretude para as nossas ideias. Ela é a mediadora entre as nossas criações e todos aqueles que possam se interessar por elas. Ela simboliza a possibilidade de sonhar e com o convite para sonhar junto. Esta editora é a estação em que se cruzam trilhos de arte, psicanálise, psicologia, pedagogia e história e seus produtos são os bilhetes disponíveis no guichê para esses caminhos dentre outros.
Seu objetivo é corporificar um conjunto de símbolos organizados de tal maneira que são como um convite para um parque de diversões ainda desconhecido, estímulos diversos que possam aguçar a curiosidade e a interação levando ao estado mental do brincar, borrando por instantes as linhas entre a realidade e a fantasia.
É o selo sob o qual estão agrupadas criações que ora chamamos de livro, ora de jogo e acredito que haverá aqueles que os chamarão de brinquedos ou brincadeiras. Objetos feitos à mão que pretendem responder a pergunta: quanto você precisa para sonhar?
Embora brincar, sonhar e contar histórias remeta ao universo infantil, se faz necessário enfatizar que a Pote editora não produz apenas para as crianças, pois deseja confeccionar materiais que permitam o acesso à criança que habita o adulto – e que através dela sejam acessados os filhos, netos, alunos, amigos e parceiros – e que estimulem o desenvolvimento de um ambiente que facilite e favoreça o viver criativo e o amadurecimento dos seres humanos.